quarta-feira, 8 de março de 2017

Para nós, mulheres

Nasci mulher sem saber a força disso. Nasci canceriana, sonhadora, romântica e quando criança acreditava que deveria sentar com as pernas fechadas, como já dizia a minha avó. Acreditava também que, para ser completa, precisaria encontrar um amor (masculino) e ter 1, 2 ou 3 filhos.

Conforme fui crescendo, acabei lendo livros e vendo filmes que apenas hoje entendo completamente e que moldaram a minha personalidade. 
Lembro que ainda adolescente li Madame Bovary e achei entediante. Apenas alguns anos depois, quando li o livro novamente por livre e espontânea vontade, entendi a força daquelas páginas e o que elas significaram para a época. Quando conheci a Capitu de Dom Casmurro comecei a perceber a força e a sensualidade de uma mulher e me apaixonei por completo pelos seus olhos de ressaca. 

Minha família é essencialmente matriarcal. Todos os meus grandes exemplos são mulheres e eu sempre cresci rodeada por uma força feminina incrível. 

Minhas amigas são lacradoras. Todas! Tenho um puta orgulho das mulheres que me rodeiam. Elas são phodas em vários aspectos e me ensinam a ser uma mulher melhor a cada dia. 

Amo o feminino e amo participar deste momento. Estamos mudando o mundo, girls. O empoderamento feminino nunca foi tão real e nunca fomos tão unidas. É lindo de ver. É maravilhoso viver. 

Não importa se você é certinha, piriguety, empreendedora, sonhadora. Não importa se você usa saia longa ou mini. Não importa se você faz xixi sentada ou em pé. Não importa se você nasceu mulher ou tornou-se mulher. O Eu feminino é único e lugar de mulher é onde ela quiser. Agradeço todos os dias por ter a oportunidade de provar por A mais B que somos muito, mais muito mais do que um rostinho bonito. 


Obrigada! #grlpwr










Um comentário:

  1. Lindo texto Ju. Me sente lisonjeada. Te amo, mamãe.

    ResponderExcluir

Postagens populares